28 de nov de 2011

Fugazi em Joinvile-SC


O que fiz no dia 15 de agosto de 1997?

Eu fui no show do Fugazi na Liga de Sociedade. Ao lado de amigos, dancei todo a apresentação da banda Fugazi que estava nos formando como seres humanos: os discursos, a visão crítica da vida cotidiana e as expressões estéticas. rapaz, que noite!

O que faço no dia 28 de novembro de 2011?

Estou na página da Dischord ouvindo o que está disponível: as memórias daquela apresentação estão aqui, cada momento.

Quem quiser ouvir a apresentação, ou até mesmo comprar, entre aqui e faça o cadastro.

A Dischord está com disposição de receber informações, fotos e vídeo da apresentação. Quem tiver, faça contato com o selo.

Espera aí, vou comprar a versão on-line.


Ps: Valeu a dica, querido Fakis.

27 de nov de 2011

Trilha sonora de domingo XVI

Joe Struumer and the mescaleros para fechar a noite de domingo.

Assisti o documentário "Joe Strummer: o futuro não foi escrito". Animal o filme, até penso em fundar uma Igreja com as mensagens do pregador Joe Strummer. Quem topa entrar na parada?

26 de nov de 2011

Trilha sonora de sábado X

Trilha sonora de sábado vai durar até o 29, pois é o útlimo número romano que eu sei, depois ferrô.

                                                  ---

Tirando Napalm Death, a primeira banda de grind que eu escutei foi Darge. Na época eu tinha 14 e o Yashiro, da Ulcera Brutal Records me deu um cd da banda. O Darge é lá das Ásia, continente que "fabrica" boas bandas de grind.
A trilha sonora de hoje é Wormrot, banda de Singapura. É pra bater com a nuca na quina da mesa sem medo.






www.myspace.com/wormrotgrind

Todos Contra Um - Grades da Padronização


Todos Contra Um - Grades da Padronização from Jomar Dantas on Vimeo.

O calor tropical não serve só pra te deixar com pressão baixa e com micose genital. Além de suar até pelas unhas e ser obrigado a deitar no piso gelado para se refrescar, o calor também é responsável pelo nosso sangue quente. Se você já bateu em um coleguinha de escola só porque não gostava do jeito que ele movimentava as mãos, saiba: você agiu impulsionado pelo sangue quente dos trópicos.
O mesmo sangue quente parece influenciar a agressividade e velocidade do Todos Contra Um. Não há espaço para Jesus no coração quando seu cérebro está sendo cozinhado pelo sol. Só há espaço para berros,  rock sujo e, por que não, satanismo maldito.

Por Victor B.

Foto retirada do myspace da banda.

www.myspace.com/todoscontraum

25 de nov de 2011

Memórias do Gorilla em Blumenau-SC - II


A terceira colaboração sobre a passagem do Gorilla Biscuits por Blumenau é da Camila, que já fez música punk-hardcore na cidade e por hoje se dedica ao Coletivo Chá.
Essa não é a primeira vez que recebo um convite do Maikon para escrever sobre algum show fora da cidade, e em nenhuma das outras vezes consegui produzir algo, mas dessa vez tive que fazer um esforcinho a mais.

O show do qual estou falando, é o da lendária banda de hardcore de Nova Iorque, Gorilla Biscuits, que aconteceu no último final de semana em Blumenau/SC. Não tem como negar que o evento era imperdível, algo histórico mesmo, principalmente por ser aqui no estado, onde há algum tempo o hardcore e os shows baseados na prática do faça-você-mesmo tem se tornado cada vez mais raros. Em Blumenau, as coisas estão ressurgindo, alguns shows acontecendo e é muito bom ver que as pessoas não desistiram ainda de tudo isso.

A prova disso foi que o show teve um público presente, não como esperado, infelizmente, mas teve. O evento começou com o Positive Youth representando o hardcore de São Paulo, logo depois, o Nunca Inverno apareceu e preparou o público para o show mais esperado da noite: Gorilla Biscuits, que mesmo sem o CIV nos vocais, foi perfeito! Muita energia, emoção, sorrisos e a certeza de que a chama ainda continua acessa.

Ter ido nesse show representou muito pra mim, mais uma vez me fez reviver tudo que já presenciei nesses anos que tenho o hardcore na minha vida, ver os olhos das pessoas que estavam no show brilharem por estarem naquele lugar, ver pessoas mais velhas que nem costumam mais ir nesses eventos, ver pessoas novas, ver o movimento acontecendo em lugares não esperados, ver o hardcore vivendo da maneira que eu acredito que deve ser: simples, intenso e verdadeiro!

Por fim, como diz o Nunca Inverno: "Pouco tempo, nenhum dinheiro, alguns sorrisos. Sempre os mesmos. 10 ou 12!"

Memórias do Gorilla em Blumenau-SC - I

O Marcio compartilhou suas memórias da passagem do Gorilla Biscuits por Blumenau. O meu irmão Marcio é um admirador da banda, nunca deixou de tentar me convencer das qualidades da banda. Esse texto é mais uma tentativa de me mandar ouvir um pouco mais de Gorilla.

Cada vez menos, em função das responsabilidades, tenho freqüentado shows de hardcore...entretanto, este show do Gorilla Biscuits teve minha atenção...tanto que eu e o meu irmão Marcel organizamos um van para que pudéssemos dividir esse momento com mais pessoas, no caso nossos amigos...quando o Youth of Today veio pro Brasil lembro de ter comentado com o Nalvan que preferia muito mais ver o Gorilla Biscuits do que o YOT...pois é, aconteceu...e o mais importante, em Blumenau/SC...e isso se deve ao fato do Luis (Nunca Inverno) e o pessoal de BNU ter aceitado esse desafio...apesar de não ter o público esperado e do acidente ocorrido com o vocalista CIV em BsAs, o evento aconteceu de forma que só quem presenciou pode entender...tem também o fato de que reencontrei amigos de longa data, que agora estão noivos, casados ou separados, mais velhos e barrigudos, entretanto com a mesma expectativa em relação ao show: bons momentos para ficarem gravados na memória...apesar de ser tudo muito corrido, e você interagir muito pouco com as pessoas, até que deu pra saber como anda a vida de cada um, apreciar uma boa comida vegana, adquirir uns CDs de bandas independentes...coisa de velho do hardcore...se você tem mais de 30 anos (como eu) vai entender...hahahaha. Mas em relação aos shows, a 1ª banda a se apresentar foi o POSITIVE YOUTH (SP). Pouca gente se aproximou pra ver o show da banda, mas foi legal mesmo assim...old school direto em português...gostei do show, mas faltou a participação do público...todo mundo guardando energia pros dois outros shows...depois veio o NUNCA INVERNO (BNU). A banda tocou músicas de seus 2 cds já lançados...o show foi foda, a banda tá 100% em sintonia e o público não fez por menos...parece que este show foi a despedida da banda...na realidade o futuro da banda está incerto, deixa o tempo mostrar o que vai acontecer...depois veio o GORILLA BISCUITS...eu estava meio receoso em relação ao show, tendo em vista que o CIV não estaria cantando, e que o Walter cantaria em seu lugar...mas já vamos voltar ao evento, gostaria de falar sobre a banda e o que ela representa pra mim...eu comprei o cd Start Today lá por 97, ou foi 96? Não lembro mais, esses detalhes se perdem com o tempo...o fato é que este, definitivamente, se tornou um dos discos mais importantes pra mim... as letras e a melodia se destacavam em relação as outras bandas que eu escutava na mesma época...assim o GB, que junto com outras bandas como Minor Threat, DK e X-Acto, influenciaram algumas de minhas escolhas como indivíduo, e que carrego até hoje...mas voltando ao show, foi um momento único mesmo...há muito tempo não presencio um show tão contagiante e de tamanha energia envolvida...eu, literalmente, voltei a ser criança, ficou claro pela expressão de felicidade no meu rosto...acho que isso aconteceu com o restante do povo com mais de 30...hahahaha. Nesse show ficou claro, que as diferenças naquele momento se apagaram, e o que predominou foi toda aquela energia, ou mesmo liberação de toda aquela raiva ou alegria contida do dia a dia...posso dizer que foi um evento único...estar com os meus amigos e ver uma das bandas mais importantes do hardcore juntos, não tem como descrever isto em linhas sem se emocionar...essa que é a mais pura verdade...principalmente quando o GB tocou Cats and Dogs e eu pude cantar junto “My true compassion is for all living things and not just the ones who are cute so I do what I can”, pra mim foi o auge de tudo que acredito, seja veganismo, seja straight edge ou mesmo punk/hardcore...foi sincero e foi perfeito...isso é tudo que tenho a dizer...

Memórias do Gorilla em Blumenau-SC

Ninguém do “comitê central” do Blog Do trilho pra cá compareceu ao show do Gorilla Biscuits em Blumenau. As razões são múltiplas, falta de grana, trabalho marcado no mesmo dia e tal. De qualquer modo, convidamos pessoas que estiveram presente no último dia 19 de novembro na cidade de Blumenau - SC. Os primeiros convidados são o tatuador Ribas e o “manager” e diretor da Torcida União Tricolor Nalvan. Os dois ostentam orgulhosamente um X nas costas de cada mão e ainda levam o hardcore como uma verdade absoluta.

A seleção de imagens são responsabilidade do blog: as fotos estão no perfil do Raphael Youthh


***

Fiquei um pouco receoso quando o Maikon pediu para que eu falasse sobre o show, pois faz muito tempo que não escrevo algo para fins relacionados ao Hardcore, mas gostei da idéia de colaborar e passar minhas impressões adiante. Antes de qualquer coisa preciso confessar que o Gorilla Biscuits não é e nunca foi uma das minhas bandas preferidas, apesar de saber e reconhecer o imenso valor histórico que tem e achar uma ótima banda! Mas, para mim, sempre foi daquelas que só sei os refrões das músicas mais conhecidas... mesmo assim, considero imperdível um evento desses, ainda mais por acontecer em SC.

Gorilla Biscuits é o tipo de banda que possui um público heterogêneo. Se alguém pensou em não ir pelo simples fato de não ser Straight Edge, pôde comprovar quese trata de um show “democrático”. Não foi um show para edgers. Foi um show de Hardcore, verdadeiro... e contemplou as pessoas que conheciam ou não a banda. Contemplou quem gosta de ouvir Hardcore.

Já que o Nalvan falou em democracia, o baixista Arthur expressando o seu ódio ao capitalismo, saiba mais no IWW

Foi aquele tipo de evento que faz todos os caras mais velhos do hardcore saírem de casa. Foi ótimo ver tanta gente emocionada. Os caras com 30 ou mais de idade se comportando como se tivessem 18 novamente, se divertindo com brilho nos olhos. E ver os mais novos com expressão de esperança no rosto. Foi ótimo também eu ser tomado mais uma vez por uma sensação de “eu pertenço mesmo a isso aqui, esse é meu lugar”!

O show em si foi ótimo! O Walter no vocal teve uma presença de palco incrível! Disse coisas interessantes entre uma música e outra, o que é sempre muito importante. Bom demais perceber que a banda estava fazendo aquilo com sinceridade e alegria verdadeira, era notável isso. Foi a celebração da célebre frase “young 'till I die”, de fato. Se você ainda gosta de Hardcore e não pôde comparecer, comece a se arrepender.

Nalvan xxx

Ver um show de hardcore onde o público é constituído em grande parte por pessoas com mais de 30 anos já é suficiente pra sentir que não é algo que acontece todos os dias, muito menos na nossa querida Santa Catarina. É difícil pra mim falar de um show histórico como este do último Sábado, sem expressar um pouco de nostalgia dos tempos de “Double Phase” em Joinville, e com esses tempos, meus primeiros contatos com os shows de punk-hardcore. Digo isso porque no show em Blumenau, senti a mesma emoção que lembro sentir naqueles dias de primeiros contatos com essa realidade complexa que é o “underground”.

O espaço é curto pra escrever, mas posso resumir o show como a celebração do que EU considero o verdadeiro hardcore. Todo mundo se divertiu junto. Cantou, dançou, se emocionou. Sem estrelismos, sem pseudo “heróis da cena”. Enfim, a coisa foi como deveria ser sempre, mas que a algum tempo não tenho visto pelos lados de cá. Por isso é importante lembrar o mérito da organização do evento, que encarou o desafio e a encrenca de fazer acontecer um show desse porte, em uma cidade como Blumenau, que assim como grande parte de Santa Catarina, a tempos não possui uma movimentação de pessoas no sentido do punk-hardcore “faça você mesmo” (sem apoio de patrocinadores externos) como foi o esquema feito. Teve também venda de rango Vegan, livros, CDs, discos, merch das bandas, e materiais independentes.

Infelizmente nem tudo são rosas, pois a lotação prevista, de 300 pessoas, ficou longe de ser atingida, beirando os 200 pagantes. O que, para um show dessa importância, é no mínimo, ridículo. Houve o fato de o vocalista oficial ter sido substituído pelo guitarrista, Walter, nos shows do Brasil. Pois CIV, sofreu um acidente durante um show em BsAs. Talvez a formação alternativa da banda tenha afastado alguns “fãs”, do show. Mas quem esteve no Salão Dorow teve a certeza de que a mudança não tirou nada da energia do show, que estava toda lá, presente, e re-carregada!!

Ribas

20 de nov de 2011

19 de nov de 2011

Caga porrada na orelha do bom moço



Possuído pelo Cão ao vivo no Caga Sangue Thrash - 2011


Eu fico pensando como seria falar para a minha avó que iria para capital federal brasileira no Caga Sangue Thrash - 2011. A velhota ficaria confusa! Ainda mais se soubesse que uma das bandas do evento seria o Possuído pelo Cão.




Esse foi mais um ano que perdi a oportunidade de deixar a velhota confusa. Em 2012, espero realizar o ato, só pra chocar a sociedade acostumado com o bom mocismo cristão.




15 de nov de 2011

Grão de areia – número 00

Ler um zine de papel é incomum? Alguns zines estão aí para uma resposta negativa para a pergunta inicial. Um exemplo é o zine blumenauense Grão de Areia, editado pelo Luis, vocalista da banda Nunca Inverno.

Em formato A3 com 20 páginas apresenta o cenário punk-hardcore segundo o ponto de vista do seu editor: entrevistas com os americanos Rvivr, os melódicos e empolgantes argentinos da Eterna Inocência e dos curitibanos da Black Sea. O Luis, no mês de dezembro de 2010, foi a Buenos Aires, de lá trouxe um diário de viajante punk-straight edge, como uma boa crônica de viagem, o leitor encontrará as visões do autor e as maneiras de conduzir a produção subterrânea do punk no país vizinho. As páginas dedicadas aos comentários de discos, filmes e livros estão representativas da amplitude das produções independentes ao redor do mundo, caminho que o cenário brasileiro começa a produzir.


Contato: luisinverno@hotmail.com A-C Luis Fernando - Rua Farmacêutico João Medeiros, 44, apto. 33, Vila Formosa, Blumenau-SC-Brasil, CEP: 89.010-430

14 de nov de 2011

D.E.R. no Ocupa Sampa

Show do D.E.R. na ocupação do Vale do Anhagabaú:



Protesto Punk - IV (Foda-se o SWU)

Bandeiras vermelhas e negras estão nas ruas das cidades gregas. Na América estudantes e trabalhadores botaram as bocas nos megafones para descer o verbo nas grandes corporações e sua doentia relação com o Estado americano.

Milhões de pessoas ao redor do mundo estão de saco cheio com a economia e a política do mundo, que fode justamente com os mais pobres. As manifestações produzirão uma revolução mundial ? É pouco provável, mas os espíritos e a ações contrárias ao capital estão nas ruas.

Enquanto isso as grandes corporações resolveram explorar as preocupações com a atual política global. A Coca-cola faz anúncio e trabalho “social” com trabalhadores de materiais recicláveis. O Banco Itaú demonstra preocupação com a questão “social” e a nova “consciência” sobre os problemas do mundo.

O SWU está dentro desse contexto: é a indústria do entretenimento preocupada com a questão de um mundo sustentável ecologicamente. É mais um modo do capitalismo perpetuar as suas garras sobre os pobres do mundo. Ou seja, esse festivalzinho nada está preocupado com as pessoas pobres, mas com a permanência do capitalismo dentro das “novas legislações ambientais". Foda-se o SWU!!!


PS: Alguém sabe que horas o Down toca no SWU?

Slug and Lettuce na net

Imagine um zine que publicou 89 números com diversas entrevistas, resenhas de discos, livros, zines, fotos e colunas, imaginou? Então, o Slug and Lettuce foi esse zine.
Eu tenho algumas edições do extinto zine americano Slug And Lettuce, editado pela Christine. O zine fazia uma excelente cobertura cultura punk americana sem perder o vínculo com a proposta política radical libertária, especialmente na questão ambiental.

Boa parte do acervo do zine está publicado no site, que é possível visualizar fotos, artes e as colunas publicadas no zine. Não deixe de conferir: http://www.slugandlettuce.net/

A foto do Government Warning por Christine, publicada no zine Slug and Lettuce #86 no inverno de 2006.

13 de nov de 2011

Trilha sonora de domingo XIV

"Por pedras e fogo", da banda extinta banda Constrito, é a trilha sonora da noite de hoje. Aproveito para informar que vamos publicar uma entrevista com o Marcelo Fonseca, vocal da banda Constrito, que hoje está na produção do documentário sobre o cenário punk-hardcore brasileiro nos anos 90.

"As taxas crescentes do índice de crimes
São usados como desculpa pelo
Governo para reativar orgãos da ditadura
Fazendo prova de uma hipócrisia sem igual,
O governo omite a origem desta violência em ascensão.
As raízes desta guerra estão enterradas
Na própria política dos governantes...

Dois lados estão se formando
A direita e a esquerda estão cada vez mais nítidas
De um lado, a população oprimida
Do outro, o governo e o latifúndio

Escolha seu lado, não há meio termo
Eles (o governo) querem reintroduzir
De forma sutil a ditadura

A oposição vai se radicalizando,
Prevendo o possível confronto armado

Não haverá acordo, não haverá mais diálogo
Mas uma nova chance está surgindo
Para nossa realidade
Fique atento aos passos do estado
E perceba sua realidade sendo afogada aos poucos

Prepare-se para o dia em que sua revolta
E sua insatisfação se farão por
Pedras e fogo..."

12 de nov de 2011

Trilha sonora de sábado IX

Imagino que neste momento o Maikon esteja ouvindo o split com o DEFY.
Eu também estou ouvindo DEFY, mas não a banda e sim o álbum DEFY, da banda Warcollapse. Puro crust fedido e fudido do capeta.







O Neymar curte!

Split-EP com a bandas Defy – Risposta

Ao fazer um crust com certeiros flertes metálicos, os caras do Defy estão dispostos a destruir: é um disquinho ideal para mostrar para o seu amigo banger que ainda segue a ortodoxia metálica. O outro lado do disquinho está Risposta, diretamente da República Tcheca. O cenário punk da República Tcheca costuma apresentar bandas fodidas para o mundo, o que não é diferente com Risposta acompanhado de suas referências no Discharge e uma velocidade característica das bandas tchecas.

10 de nov de 2011

Novas informações do Gorilla Biscuits em Blumenau

A proposta do vídeo ficou legal.

-Gorilla Biscuits (New York Hardcore - USA)

http://www.myspace.com/gorillabiscuits

-Nunca Inverno - Bnu

http://tramavirtual.uol.com.br/nuncainverno

Positive Youth – SP

http://www.myspace.com/positivexyouth


Local:
Salão Dorow - ( clube de caça e tiro Fortaleza Alta)
Rua Hildegard Dorow, 126 - Fortaleza Alta -
Blumenau - SC ( em breve mapa do local)


Abertura da Casa: 17:00.
Início do Show: 18:00.

6 de nov de 2011

Trilha sonora de domingo XIII

Eu já tirei uma onda do Vitinho por publicar Adolescents, aqui. Hoje publico a música "Inspiration", do novo cd "The fastest kid alive", do Adolescetns. Eu baixei o disco ontem de manhã, via Biscoito do Gorilla. Há tempos não escutava um disco atual de uma banda velha e ficava apertando o repeat, repeat, repeat....

3 de nov de 2011

Cartaz do Gorilla Biscuits em Blumenau - SC

Meu amigo Marcio vai chorar com o dedo apontando para o céu.

Punk is dead(Ou: Hippies tardios)

Pete Wright, Phil Free e Joy De Vivre curtem o sol em um protesto contra a guerra ao ar livre, cerca de 1980. (Fonte da imagem e da legenda: Vice-BR)

CRASS me coloca em contradição política, pois gosto da banda The Clash, que eram duramente criticados pelos punks anarquistas do CRASS. Outra contradição ocorre pela visão individualista anarquista do CRASS. Foda-se! Os hippies tardios do CRASS foram a força inspiradora na minha adolescência. Link
Deixo uma interessante entrevista atual com membros da banda, leia com um clique aqui.

1 de nov de 2011

Povo da Laja Rex chora muito

EU CHOREI MUITO, depois do Gaiola branco, sempre sonhei com esse LP”. É que está escrito no Facebook da Laja Rex.

A razão do “EU CHOREI MUITO” é o lançamento do disco Carne, do Mukeka di rato, no formato de vinil em 12 polegadas. O lançamento será uma parceria entre Deck Music e Laja Rex.



Zombie Cookbook

“Cinetrash” é o nome do primeiro disquinho vermelho do Zombie Cookbook, de Joinville-SC. O 7 polegadas é veloz e podre. O lançamento foi do selo americano Fudgeworthy Records. No Brasil rola de comprar diretamente com os caras da banda, via zombie.cookbook666@gmail.com


O Zombie Cookbook está com outra novidade. A banda foi confirmada no Zoombie Ritual Festival 2011. O festival acontecerá em Rio Negrinho – SC, cerca de três horas de Joinvas.


Escute Zombie Cookbook http://www.myspace.com/zombiecookbook

https://www.facebook.com/zcbofficial

Infos do Zoombie Ritual Festival http://zoombieritual.com.br/