6 de dez de 2011

Deu no Orelhada


“A noite foi marcante para mim, acredito que para outros amigos também, mas não foi um divisor de águas no cenário musical da cidade. Serviu para entender um pouco mais sobre música, até mesmo sobre a maneira de levar a vida”, relembra Maikon Duarte, historiador, autor de teatro e cabeça do blog Do Trilho pra Cá. Leia o texto completo, aqui.

3 de dez de 2011

Discharge - Tributo

Poucas bandas punks são fundadores de uma proposta estética que carrega um expressivo grupo de seguidores fiéis. Discharge está na fileira das poucas bandas. Caso for listar as bandas que extrapolaram a fronteira do punk, influenciando, por exemplo, o metal, a lista diminui. Mas o Discharge continua na lista. Uma prova disso é tributo brasileiro aos ingleses da banda Discharge.
Capa e poster do tributo brasileiro ao Discharge

A coletânea foi organizada por um dos maiores pregadores do amor ao Discharge, o Fofão, da banda Besthöven. A responsabilidade do lançamento contou pela cooperação de seis gravadoras independentes. O tributo acompanha um pôster com colagens e informações das 27 bandas brasileiras que representam clássicos do repertório do Discharge. Eu pensei em listar as versões que mais gostei, mas seria um tanto idiota, já que o lance é cultuar o inferno digno do Discharge. Vale a pena comprar o cd e ouvir com amigos punks beberrões e algum SxE que curta um punk de jaqueta de couro e rebite.

http://www.terrotten.com/

1 de dez de 2011

Cortex

Flávio Grão é artista criado no subterrâneo das culturas urbanas brasileiras. De lá, trouxe uma bagagem carregada de conteúdos, informações, interpretações e iniciativas questionadoras.

O zine Cortex é a nova produção do artista Flávio Grão. O trabalho foi constituído com o uso de estilete e colagem, que merecem cuidados, não para evitar acidentes de trabalho, mas para o acabamento final não interferir na narrativa visual, ato que Flávio Grão demonstra efetiva criatividade, ao mesmo tempo, propõe reflexões aos que vivem na parte superior da cidade. O Cortex me conduziu a perturbação e a dor que é viver na cidade do tempo presente. É como aquela dor que surge na cabeça, logo após uma extensa jornada de trabalho.

Flávio Grão no facebook, aqui.

Flávio Grão comenta a ilustração de um livro, aqui e aqui.

Flávio Grão colabora no Zinismo, aqui.

Ps: a foto é um registro com meu aparelho telefônico, desculpe-me.