28 de set de 2011

A importância de Redson (e da banda Cólera)

O vocalista e guitarrista Redson foi responsável por marcar a história do punk rock brasileiro. A qualidade da música, a produção de discos independente em território brasileiro, a força das letras e a energia das apresentações ao vivo. Eu poderia listar tantos outros fatos da importância global de Redson, que morreu na noite de ontem.

Ficarei restrito a importância de Redson e toda banda Cólera exerceu sobre minha formação.

Nos primeiros anos da década de 1990, eu era um jovem adolescente com um futuro destinado ao "desajuste social" ou a tentar vencer na vida. Morava num Bairro formado por pela classe trabalhadora, antes da abertura das portas para a classe média. As perspectivas estavam reduzidas aos pequenos furtos, consumos de drogas químicas ou ser uma peça na linha de produção fabril ou no atendimento e prestação de serviços. Aquela coisa de trabalhar por longas horas e ganhar pouco.

Eu não faço ideia às razões, algo na minha história apontava por querer um terceiro caminho, uma opção diferente de todas que estavam impostas. O ato de escutar algumas bandas de rock nacional era uma saída do que era imposto. O que surgiu como algo modelar e indicador para os meus passos numa perspectiva diferente foi o disco “Pela paz em todo mundo”, da banda Cólera.

As músicas contendo doses enérgicas eram o suficiente para me manter vivo em longas horas de tédio no Bairro Floresta. As letras falando sobre viver na cidade despertavam questionamentos sobre o que via e sentia de opressão. A necessidade de ser ouvido na minha adolescência, a compreensão de todas as pessoas como portadores de direitos por serem humanos históricos...

Sabe, as razões são múltiplas para sentir uma tristeza com a prematura morte de Redson, que sem saber passou por aqui como um grande estimulador e provocador de mudanças que nenhum professor e pedagogo realizou na minha vida.

(Por Maikon K)

Ps: Eu não sou um “desajustado social” nem vencei na vida, to é na luta para mudar o mínimo de toda a merda imposta na cidade da injustiça.

Nenhum comentário: